As tatuagens pelo ponto de vista da psicologia

segunda-feira, setembro 04, 2017


 De acordo com  Kirby Farrel, professor da Universidade de Massachusetts especializado em antropologia, psicologia e história relacionadas ao comportamento humano, as tatuagens são representações físicas e artísticas de valores com que você se identifica, faz com que as pessoas se sintam especiais, e significantes no mundo.

 Elas chamam atenção para você e fazem você se sentir real, mesmo se essa atenção fizer você se sentir membro de um grande grupo. Então, você precisa constantemente de histórias que constroem sua autoestima e fazem você se sentir significante, o que é fornecido pela cultura.

 Já o site fãs da psicanálise afirmam que as tatuagens têm a função de modificar a autoestima, ou seja, as marcas sobre o corpo oferecem a quem as utiliza um tipo de “poder” ou distinção sobre as demais.

 Um estudo feito pela  revista Psychotherapy Research diz que algumas pessoas ferem o próprio corpo,  provocando em si mesmas cortes, queimaduras e outros tipos de lesão, na tentativa de amenizar o sofrimento psíquico. Há ainda quem prefira, de forma obsessiva, perfurar diversas partes do corpo com piercings ou tatuar imagens, buscando então uma forma de aliviar as frustrações que sentem, ou aumentarem sua auto estima.

 Concluindo, as tatuagens estão relacionadas a forma com o indivíduo se vê e com seu posicionamento frente a sociedade em que vive. Muitas pessoas as fazem para enaltecer sua auto estima e para se sentir inserida em um grupo de pessoas com comportamentos semelhantes.

 Podem ser vistas também como uma forma de demostrar superação de momentos difíceis em que o indivíduo tenha sido submetido, exemplos disso são:

- "Foco, força e fé"


- "Resistência"



 Para mais informações sobre o assunto, leia o artigo do site fãs da psicanálise em: http://www.fasdapsicanalise.com.br/cicatrizes-de-tinta-psicologia-por-tras-das-tatuagens/

You Might Also Like

2 comentários

a

"Os textos aqui postados são de autoria da blogueira, ao compartilhar ou copiar trechos de publicações, deve-se dar os créditos a quem escreveu ou citar o site de onde o conteúdo foi retirado".